Changeling os Perdidos - Interpretação parte 2  

Posted by Diego Erik in



Changeling: Os Perdidos


Parte 2 - Vida Changeling





A Fuga

Enquanto o papel dos changelings durante seu cativeiro pode variar muito, cada changeling teve pelo menos uma experiência em comum. Em algum ponto no tempo, eles efetuaram sua fuga e voltaram para o mundo mortal. Alguns escapam literalmente, usando algum meio de se livrar de seu cativeiro contra a vontade de seu Guardião (ou sem seu conhecimento). Alguns usam de furtividade, escapando quando a atenção de seus Guardiões está em outro lugar. Outros podem usar astúcia, enganando os seus Guardiões ou um de seus lacaios para deixar que eles voltem ao mundo mortal. Alguns poucos usam força, quebrando suas correntes (literalmente ou figurativamente) ou sendo mais fortes que seus captores. Essas fugas nem sempre são bem sucedidas, e muitos changelings falam de múltiplas tentativas que falharam antes que eles ganhassem sua liberdade. Serem arrastados de volta em correntes, e serem punidos da forma que seus Guardiões achem divertidas podem deter qualquer tentativa futura, o que significa que aqueles changelings que ganham seu caminho de volta são geralmente os mais fortes, mas espertos e determinados.

Outros changelings reportam que eles não escaparam, mas foram libertados. Alguns, como as lendas de True Thomas, clamam terem adquirido Contratos de tempo limitado com seu Guardião, e foram soltos ao fim de sua sentença. Outros venceram concursos, charadas, desafios ou duelos com seus captores (ou serviram como o campeão do Guardião) e demandaram sua liberdade como prêmio. Talvez os mais confusos sejam aqueles poucos que dizem que seus Guardiões simplesmente os soltaram sem nenhuma razão aparente. Enquanto esses indivíduos são, sem dúvida, gratos pela sua liberdade, eles geralmente são deixados com uma sensação de negócio inacabado, e a preocupação completa, alguns sabem sobre qual serviço eles estão prestando para o mestre agora como fada livre que são mais valiosos ao seu Guardião do que continuar a servir em Faerie.

Em muitos casos, alguns changelings podem encontrar os seus caminhos para a liberdade em grupo, ao invés de sozinhos. Mesmo eles se separando mais tarde, atraídos pelas memórias de diferentes lares, eles, como um grupo, foram capazes de superar obstáculos que normalmente teriam impedido qualquer um. Cada mixórdia dos Perdidos que faz em conjunto sua fuga dos Espinhos, é uma lição mútua de força. Em poucos casos, múltiplos grupos de changelings chegam em casa ao mesmo tempo, suas memórias esvanecidas sugerindo uma rebelião reprimida. Na última década mais ou menos, um maior número de changelings parece estar encontrando o caminho de casa. Alguns sugerem que foi o aumento do tumulto emocional do fim do milênio que atraiu esses errantes para casa, mesmo que alguns deles chegassem mais tarde, graças a natureza distorcida de Faerie. Alguns Perdidos mais antigos mencionam um êxodo similar que pareceu chegar durante o fin de siècle do século 19, e se perguntam se existe um padrão maior em jogo.


Jogador ou Peão?

No fundo da mente de cada changeling que escapa das terras loucas de Faerie, uma questão começa a pinicar uma hora ou outra. Não importa o quão furtivo, esperto, forte ou mortífero o refugiado se considera, se dar melhor que as Fadas no seu próprio reino é coisa de folclore, e não realidade. Sendo assim, não importando como os changelings escaparam de seus Guardiões, eles quase sempre inevitavelmente se perguntam se realmente "se deram melhor" que as Fadas. Será que ela realmente estava dormindo quando o changeling pegou a chave debaixo de seu travesseiro, ou ela estava apenas fingindo não acordar? Será que ela realmente deixou a porta aberta na hora certa para o changeling escapar, ou ela queria que ele fosse embora? Será que ele realmente venceu o concurso, ultrapassou os desafios ou derrotou o inimigo e ganhou sua liberdade, ou tudo foi ensaiado? Será que foi realmente a Fada que o changeling matou, ou algum simulacro artificial desenhado para que ele acreditasse que seu Guardião estava morto? Será que a fuga foi realmente uma fuga ou foi tudo, como tudo é em Faerie, algo diferente do que parece?

Nenhum changeling, é claro, consegue saber de verdade. E para alguns a possibilidade que sua fuga tenha sido algo diferente demora muito, muito tempo para aparecer. Mas para aqueles que têm alguma pista da natureza complexa e manipuladora das Fadas, a questão uma hora aparecer, adicionando outra camada de dúvida e medo em suas existências no mundo mortal.



De Volta pra Casa


Retornar ao mundo mortal é muitas vezes, pelo menos, tão chocante para changelings como encontrar-se em Faerie o foi. Quão difícil sua transição de volta é depende de vários fatores, qualquer um dos quais pode ser suficiente para deixar um changeling louco com frustração, medo ou confusão. Cada indivíduo, naturalmente, experimenta o retorno de maneiras diferentes dependendo da natureza de sua vida humana antes do roubo, das circunstâncias de seu tempo na terra das Fadas e do preço de sua fuga. Há, no entanto, certos desafios que a maioria, se não todos, changelings devem lidar com o seu retorno ao mundo "real".


Estranho Numa Terra Estranha

Talvez o desafio singular mais difícil ao retornar ao mundo mortal é o fato de que eles não são mais mortais. Eles podem parecer não mudados para olhos mortais, mas changelings experimentaram coisas que nenhum humano "normal" experimentou, e estão cientes de um aspecto da realidade que, na melhor das hipóteses, daria o título de ligeiramente excêntricos a eles. Na pior das hipóteses, professar publicamente que você foi abduzido por criaturas sobrenaturais de outro reino que te transformaram a ponto de não ser mais humano, poderia facilmente levar ao abrigo em uma instituição mental. No entanto, mesmo que um changeling mantenha as diferenças para si mesmo, ele ainda sabe que não é mais o que era. Ele não é mais o mesmo como seus pais, seus antigos amigos, as pessoas com quem ele cresceu. Até mesmo se eles o aceitassem o seu retorno (o que não é pouca coisa), ele estaria andando entre o mundo das fadas e o mundo humano, e não seria parte verdadeira de nenhum dos dois.

A sociedade changeling é baseada, pelo menos em parte, nesse princípio. Para sobreviver como changelings, cada indivíduo deve manter uma espécie de equilíbrio entre seu lado humano e seu lado feérico. Ignorar o seu lado humano é devastador para a Claridade de um changeling. Ele começa a perder todo o sentido do que é real e do que são apenas os murmúrios descontentes e gritos aterrorizantes de sua alma ferida. Ilusões, alucinações, depressão, compulsão, fobias e indisposições psicossomáticas esperam na estrada, gananciosamente esperando pela chegada de um changeling que evita muito o mundo mortal. Considerando os perigos que esperam aqueles que afundam-se apenas em assuntos feéricos, a reação lógica seria ir erroneamente para a outra direção. O outro extremo, no entanto, é, para dizer um pouco, mais perigoso. Enquanto changelings de baixa Claridade estão perigando perder sua sanidade, aqueles que evitam o mundo feérico completamente se colocam no perigo de sintomas de quase abstinência, pois o seu lado fada começa vagarosamente a sentir fome.


Tempo e Lacunas

Faerie é uma terra de realidade mutável. Lá, Ciência e lógica não têm poder, a não ser que esses sejam um interesse particular da Fada que governa a área em questão. As leis naturais podem ou não se aplicar como elas se aplicam no mundo mortal, dependendo ou não de Contratos Feéricos que simplesmente emulam os efeitos dessas leis. Tempo não é uma exceção a esse fenômeno. Um changeling pode retornar do que parecia ser uma semana de tempo em Faerie, apenas para descobrir que sete anos se passaram no mundo mortal em sua ausência. Da mesma forma, um changeling que serviu por décadas e volta, descobre que apenas alguns momentos se passaram enquanto ele estava fora. Isso pode fazer com que retornar a vida passada seja impossível. Imagine tentar explicar aos seus pais que, apesar de o filho deles ter desaparecido apenas alguns dias atrás, a pessoa que afirma ser o seu filho está na verdade nos seus 50, tendo experimentado décadas de escravidão nas mãos de seus captores inumanos. Tão difícil quanto isso é o destino da mulher que retorna para ver seus filhos crescidos e casados e com filhos, quando que para ela, apenas uma semana se passou em Faerie.


Semblantes e Kiths

O efeito de Faerie sobre os changelings vai até a alma, mas as mudanças não são inteiramente esotéricas. A natureza Fae é traduzida para o changeling através de Contratos, moldando o changeling tanto no corpo quanto no espírito. Essa mudança divide os Perdidos em afinidades estranhas que eles chamam de Kiths. Um changeling cujo Guardião foi criado de sombra viva, por exemplo, poderia acabar assumindo também características relacionadas com a sombra. Ele pode muito bem desenvolver uma aversão à luz, ou sua coloração pode tornar-se monocromática. Se seu Guardião preferia um lar subterrâneo, o changeling poderia desenvolver os mesmos gostos, adaptando - quer gostasse ou não - para sobreviver no ambiente fae ele se viu obrigado a viver. Nem todos os changelings, entretanto, seguem diretamente nos passos dos seus Guardiões. Tomemos, por exemplo, o artista humano que foi sequestrado por um troll para entretê-lo com sua canção. Ele pode, com base no papel que seu Guardião coloca-la, desenvolver uma aparência mais bela, enquanto o jovem atarracado que foi roubado para guardar sua toca pode se tornar um verdadeiro ogro.

O semblante de um changeling quase nunca muda tão longe da forma original do changeling para torná-lo irreconhecível. Ele pode crescer ou encolher alguns centímetros, mas é muito improvável que ganhe ou perca 50cm ou mais de altura. Cor do cabelo e dos olhos podem mudar, e características faciais podem mudar sutilmente, mas a aparência do ser humano roubado nunca é completamente substituída. Mesmo aqueles que mudam completamente retornam a uma aparência humanoide e que lembra sua aparência original tão logo deixam Arcadia. As mudanças são físicas, mas não parecem ser genéticas; nenhuma análise de DNA pode determinar um "genoma de goblin", por exemplo. Também parece impossível para um changeling passar suas qualidades fae para qualquer descendência - não que os Perdidos tenham muita fertilidade após a mudança. A exposição à Faerie parece afetar negativamente a habilidade de um ser humano de criar ou dar à luz filhos, tornando-o impossível para a maioria no momento em que se transformaram em changelings propriamente ditos. Portanto, os Outros são obrigados a roubar novos servos a cada ano, em vez de simplesmente cruzar o estoque que já possuem.

Ao retornar ao mundo mortal, os changelings podem ficar aliviados ao descobrir que as manifestações físicas de seus Fae Mien não se revelam aos seres humanos. Changelings são protegidos por um encantamento que paira sobre todas as coisas feéricas, escondendo-os de olhos mortais. Esta Máscara, como eles chamam, pode parecer uma pequena benção em comparação com a miríade de outros desafios que enfrentam no mundo mortal, mas é uma benção mesmo assim. Os seus miens, no entanto, não desapareceram ou desapareceram ao deixar Faerie. Outros perdidos verão changelings bastante claramente - assim como Fadas, se elas se depararem com o changeling. Da mesma forma, se ele voltar para a Vizinhança ou Arcadia propriamente dito, notará que todos, incluindo os seres humanos, vêem seu Mien, e não sua aparência humana


Memória e Clareza

A mente humana vê padrões em todos os lugares. Aprendemos por eles, ensinamos por eles e quando eles não existem, nós os inventamos, procurando entender até eventos aleatórios através de uma estrutura imaginada. Um objeto derrubado cairá ao chão. O tempo avança; as pessoas nascem, envelhecem e depois morrem. É mais do que uma expectativa casual. A base das visões humanas sobre a realidade é construída em torno deles, na medida em que a insanidade é às vezes descrita como esperar resultados diferentes de situações idênticas. No entanto, nenhuma dessas explicações científicas lógicas pode prever a loucura do Faerie. A partir do momento em que os seres humanos atravessam a Vizinhança, eles estão saindo de seu mundo fisica, filosófica e até teoricamente. Todos os pressupostos anteriores são potencialmente inválidos, e a concepção correspondente sobre a "realidade", que veio com um conjunto firme de regras, começa a escapar.

Para os changelings que sobreviveram a Passagem em Arcadia e retornaram ao mundo mortal, as regras mudaram não uma vez, mas duas vezes. Seu tempo em Faerie varreu a certeza do mundo "real", e ao retornar eles devem aprender a equilibrar as realidades humanas e feérica, esperançosamente sem perder-se no processo. Este equilíbrio, chamado de Claridade, é um dos fatores mais importantes na vida de um changeling. Com baixa Claridade, o changeling arrisca insanidade e encontra-se incerto da realidade do mundo ao seu redor. Com alta, ele consegue manter o equilíbrio e enxergar as duas facetas de sua vida

Assim como a realidade desperta é muitas vezes mais fácil de lembrar do que até mesmo as experiências mais fortes encontradas em um sonho, as experiências bizarras que um changeling sofre em Faerie são confusas ao retorno de um changeling ao mundo mortal. Esta confusão é inevitável. A parte humana do changeling simplesmente não pode agarrar-se muito apertado ao ambiente totalmente Feérico para o qual foi empurrado, deixando um changeling duvidando, questionando ou simplesmente não lembrando a maioria de sua Passagem em Arcadia. Muitas vezes isso é visto como uma bênção mista. Embora seja um alívio não ser constantemente assaltado pela insanidade que é parte integrante de lidar com as Fadas, memórias incompletas e nebulosas muitas vezes deixam changelings se perguntando sobre o que realmente aconteceu com eles. Se eles são capazes de lidar apenas com essas memórias que possuem, que horrores sofreram que se suprimem abaixo da superfície?


Primeiro Contato

Um dos acontecimentos mais significativos que qualquer changeling sofrerá é o seu primeiro contato com outros de sua espécie ao escapar de Faerie. Enquanto muitos changelings terão conhecido outros seres humanos raptados por Fadas, a experiência changeling realmente começa de novo ao retornar ao mundo mortal, e apenas outros que sofreram em Arcadia e viveram para contar podem realmente entender o que é ser um changeling. Devido a essa camaradagem, muitos changelings se reúnem em grupos chamados Propriedades Livres, ostensivamente para proteger a si e uns aos outros dos perigos da existência feérica. Em grande parte, no entanto, as terras livres proporcionam um sentido de familiaridade para aqueles que tiveram suas realidades arrancadas não uma, mas duas vezes.

Em Propriedades Livres, os Perdidos encontram um sentimento de pertencer que provavelmente não puderam recuperar ao retornar ao mundo mortal: Seus amigos, familiares e entes queridos podem já ter terminado de lamentar os desaparecidos, ou um Trocado pode ter preenchido completamente sua falta, não deixado espaço para o changeling retornando. Embora não seja impossível para um changeling assumir seu lugar anterior na sociedade humana, é desafiador e ele nunca mais o fará tão bem como quanto antes de seu tempo em Faerie. Em uma Propriedade Livre, no entanto, todo mundo entende as coisas que ele sofreu e os desafios que ele enfrenta todos os dias. Uma Propriedade Livre oferece um sentido da comunidade e um nível da aceitação que ele não encontrará em nenhuma outra parte no mundo mortal. As Propriedades livres possuem duas ou mais Cortes, grupos menores em que o Changeling pode encontrar pessoas com ideias ainda mais parecidas.

Propriedades Livres também preencher outra necessidade, embora seja menos abertamente falada do que a necessidade de contato pseudo-humano. Os Changelings não são apenas humanos e, embora tenham sofrido em Faerie, seus olhos também foram abertos para um plano de maravilhas inteiramente novo do que é possível experimentar no mundo mortal. Arcádia é a terra dos sonhos, assim como pesadelos, e até mesmo em seu mais horrível, é um lugar de milagres e magia. Poucos changelings estão dispostos a admitir que há aspectos de Faerie que acenderam a chama da maravilha em seu espírito de uma maneira nada humano pode. Mas essa é uma necessidade, um anseio que não pode ser extinguido até mesmo pela arte humana mais vibrante ou pelo mais apaixonado dos amantes humanos. Em uma Propriedade Livre, há segurança para experimentar um pouco dessa maravilha feérica sem muito do perigo inerente em realmente viajar para a Vizinhança, quem dera Faerie. O contato com outros changelings, individualmente ou através das cortes elaboradas e de ordens nobres que são reflexões daquelas encontradas em Arcadia, alimentam essa fome feérica de uma maneira que nada mais pode.


Novos Começos ou Recuperar o Antigo

Simplesmente pisar de volta em suas velhas vidas raramente é uma opção para o Perdido. Muitos desafios os impedem de continuar onde pararam antes de seu rapto. Se um changeling não foi substituído por um Trocado, seu primeiro desafio é tentar explicar onde ele esteve. Dizer a verdade só irá contra ele. A natureza intrinsecamente complicada e astuta da magia das Fadas assegura que revelar a realidade de sua existência aos seres humanos arranca parte do controle que o changeling tem da realidade. A Claridade do changeling desfaz-se com cada "revelação", deixando-o cada vez menos confiável como prova de suas próprias afirmações. Os seres humanos são mais propensos a acreditar que eles estão sendo feitos de tolos, enganados ou que são o alvo de um jogo do que são a acreditar que alguns efeitos especiais realmente provam a existência de outro nível de realidade. E ainda assim, alguma explicação para o que pode ser décadas de ausência deve ser feita se o changeling espera recuperar qualquer aspecto de sua vida anterior. Alguns changelings criam contos elaborados de sequestros, tecendo histórias de serem mantidos por anos nas mãos de algum assaltante desconhecido. Embora essas histórias não possam ser provadas, elas são mais prováveis ​​de serem aceitas (e menos prováveis ​​de acabar com o changeling sendo tratado por psicose) do que a verdade. Essas explicações, é claro, só ficam mais complicadas se o tempo passar de forma diferente entre os dois mundos. Ausências podem ser difíceis de explicar, mas convencer alguém de sua identidade quando você é décadas mais velho ou mais jovem do que deveria ser é quase impossível.

Igualmente difícil é retornar a uma lacuna que não existe. Changelings que foram substituídos por Trocados enfrentam um desafio particularmente espinhoso. Diretamente tentar tomar de volta o lugar da criatura que viveu com a família há anos raramente é bem-sucedido. O Trocado tem sido, para todos os propósitos, o membro da família enquanto o changeling não, e nada menos que matar o Trocado e revelá-lo como falso é capaz de provar suas acusações. A tentativa de abate de um membro da família em frente ao resto, é claro, é igualmente provável de terminar em desastre. Aqueles que desejam substituir seus substitutos devem usar a sutileza tanto em despachá-los quanto em pisar em seu lugar, um papel que o Trocado agora conhece muito melhor do que o ocupante original. Mesmo que o Trocado tenha morrido durante a ausência do changeling, os problemas permanecem. É difícil explicar a sua esposa como você voltou para ela quando ela assistiu ao seu funeral há quatro anos atrás.

Alguns changelings acham que recuperar suas vidas anteriores é simplesmente impossível. Talvez suas famílias tenham seguido sem eles, ou seu tempo em Faerie o deixou muito velho ou jovem para esperar para recuperar sua existência anterior. Ou talvez outros fatores impeçam-no de fazê-lo; as Fadas são uma raça manipuladora e mais de um changeling retornou ao mundo humano para se encontrar acusado de crimes que foram realmente perpetrados por seu Guardião durante o rapto do changeling. Para esses changelings há pouca escolha exceto criar novas vidas para si. Alguns ficam perto de suas cidades natais, andando na linha agridoce entre monitorar o bem-estar de suas famílias e não revelar suas próprias identidades verdadeiras. Outros são incapazes de suportar a dor de tal proximidade com o familiar, ou estão em grande perigo permanecendo perto de suas casas anteriores, e devem criar novas vidas para si mesmos em outros lugares. Em ambos os casos, as Propriedades Livres frequentemente oferecem apoio a changelings deslocados que estão tentando criar novas identidades para si mesmos. Não só muitos têm recursos para criar as trilhas de papel necessárias para ser reconhecido pela sociedade humana, mas eles também podem atuar como uma família substituta, oferecendo ao changeling a aceitação e inclusão que ele tem sido incapaz de recuperar por conta própria.



Vida Changeling


Desde o primeiro momento em que os Perdidos passam de volta através da Vizinhança para o mundo mortal, eles são estrangeiros. Eles mudaram, e o mundo mortal continuou, muitas vezes completamente alheio à sua ausência. Apesar do perigo que um deles possa traí-los e à paranoia engendrada por sua Passagem, a maioria dos changelings procura outros como eles, tanto pela simples companhia de pessoas que entendem seu estado único quanto porque o conselho e a ajuda de changelings que passaram mais tempo no mundo mortal podem se provar inestimáveis.

Embora esteja longe de ser uma tradição, muitos changelings escapam juntos e emergem da Vizinhança em pequenos grupos. Enquanto as memórias das terras das Fadas são excepcionalmente falhas, os membros desses grupos geralmente se lembram de terem se ajudado a escapar ou encontrar seu caminho através da Vizinhança. Essa experiência pode formar um vínculo poderoso entre os fugitivos, que frequentemente permanecem juntos muito depois de terem aprendido a se adaptar à vida no mundo mortal. Esta fuga compartilhada forma a base para muitas Trupes. No entanto, quando os Perdidos retornam para o mundo mortal, eles são geralmente forçados a olhar para além de sua própria Trupe.

Muitos changelings aceitam e às vezes desesperadamente requerem ajuda para aprender a viver em um mundo que pode ser muitas décadas mais velho do que eles se lembram. Também, na maioria dos casos, as identidades legais dos changelings são mantidas por seus Trocados ou os changelings são considerados falecidos, possivelmente por muitos anos. A maioria dos changelings requer assistência na obtenção ou recuperação de alguma forma de identidade legal, que é tipicamente uma identidade falsa de algum tipo. Os piores são os meninos e meninas perdidos que deixaram o mundo mortal quando eram crianças ou adolescentes e cresceram com as Fadas. Poucos são equipados para lidar com o mundo mortal como adolescentes ou jovens adultos. Da mesma forma, os changelings que estiveram ausentes 20 ou mais anos enfrentam um mundo transformado por computadores, e têm a dificuldade aprender a trabalhar quase todo o trabalho ou mesmo usar uma biblioteca pública. Mesmo aqueles afortunados changelings que foram raptados como adultos e estiveram fora apenas alguns anos estão agora fora de fase tanto com os eventos mundiais quanto as vidas de suas famílias, e podem fazer perguntas embaraçosas quanto às coisas que “todo mundo sabe” que aconteceram.

Tornar-se parte da sociedade changeling é geralmente uma questão simples. Os caminhos através da Vizinhança são muito mais fáceis em alguns lugares do que outros, o que significa que a maioria dos changelings chegam em certas áreas que costumam conter uma grande população changeling. Por poderem ver as fae miens de cada um, o processo de um changeling identificar outro é muitas vezes tão fácil como perceber que um dos companheiros passageiros no metrô tem chifres ou dois metros de altura, com pele carmesim e um enorme chifre no meio de sua testa. Alguns Perdidos recém-escapados podem fugir ou atacar durante estes primeiros encontros, temendo que tenham encontrado uma Fada. Outros Perdidos suplicam para não serem punidos. Alguns entendem que eles simplesmente encontraram outro como eles.

Naturalmente, a revelação vai em ambos os sentidos. O outro changeling também é saudado pela visão de um jovem com cabelo de fantasma ou uma mulher com longas garras de prata e pele negra. O changeling mais experiente enfrenta agora a tarefa difícil de lidar com alguém que pode não ter nenhuma compreensão das realidades da vida no mundo mortal como um ser feérico. Não importa onde o encontro possa levar, o primeiro encontro com outro de seu povo é tipicamente terrível e maravilhoso para changelings que escapou sozinho e que se perguntava se estava delirando ou se era o único ser mágico no mundo. Esta reunião é muitas vezes uma experiência igualmente poderosa para um grupo de changelings que escaparam juntos e que estão lutando para encontrar seu caminho em um mundo que não é mais a casa confortável que deixaram anos antes.


História e Modernização

Changelings vivem um pouco mais do que os mortais comuns. Aqueles que foram raptados entre de duas a seis décadas atrás ainda podem escapar de volta para o mundo mortal, muitas vezes pouco mais velhos do que quando eles saíram. Como resultado, a sociedade Changeling é consideravelmente mais conservadora do que a sociedade mortal, em parte simplesmente porque muitos changelings nasceram 50 ou mais anos atrás. Além disso, a natureza do Faerie mudou pouco ao longo dos milênios e o fato de que todos os Perdidos passaram anos ou décadas lá também fornece um sentido de continuidade, muitas vezes indesejado.

A era moderna e, especialmente, a Internet proporcionaram uma saída nova e tentativa para mudar a sociedade. Antes do final dos anos 80, a maioria dos changelings em uma única cidade ou cidade tinha poucos truques confiáveis ​​para encontrar uns aos outros, em particular aqueles que sabiam onde os trods locais eram e onde os refugiados podem encontrar o seu caminho. Durante esta era, aprender sobre changelings de outras cidades ou de outras nações dependia do relatórios de changelings errantes, que ocasionalmente mentiam, aumentavam ou esqueciam de detalhes importantes. Como resultado, as Propriedades Livres ficavam geralmente por conta própria.

As regras e estruturas de Propriedades Livres compartilham muitas semelhanças, mas também muitas vezes diferenças profundas, especialmente no grau de obediência e fidelidade que os membros de uma Propriedade Livre devem a seus líderes. Em alguns lugares, esperava-se que os changelings jurassem fidelidade total aos seus soberanos e lhes oferecessem uma variedade de bens e serviços gratuitos, enquanto outras Propriedades eram significativamente mais igualitárias. Muitos Perdidos aceitaram a vida em terras opressivas ou mal administradas, porque suas únicas opções eram viver sem o apoio de outros changelings ou mudar para uma cidade nova e desconhecida, encontrar uma maneira de entrar em contato com a Propriedade local (se a cidade tivesse uma!) e esperar que as condições lá fossem melhores - tudo ao correr o risco de cruzar caminhos com Corsários, Leais, Fadas ou outras ameaças. Alguns aceitavam os riscos. Muitos não.

A crescente facilidade de contato com outras pessoas em outros lugares através da Internet tornou a comunicação ea migração em potencial mais fácil, até certo ponto. Alguns changelings têm dominado as complexidades deste novo meio, embora dada a natureza atemporal de Arcadia, não tantos quanto seus parceiros humanos. Exceto entre aqueles que viveram em reinos cyberpunk ou de ficção científica, apenas um pequeno número de changelings usam regularmente a Internet com confiança, e mesmo assim eles são bastante cautelosos sobre dizer muito de si mesmo em formato eletrônico. Mas de vez em quando, uma conexão é feita. Alguns changelings dedicados e hábeis procuram newsgroups, mailing lists e sites dedicados a abduções alienígenas, sequestro ou mistérios inexplicáveis ​​semelhantes em uma tentativa de entender mais sobre eles e as Fadas.

Durante os 2000, Perdidos de diferentes cidades do mundo começaram a fazer contatos hesitantes uns com os outros através de dicas, sugestões ou simplesmente descrições meia-lembradas de Arcádia, vagamente disfarçados como ficção. Embora alguns changelings inconscientemente tenham contactado corsários, leais ou mortais encantados, os outros foram, pela primeira vez, capaz de trocar informações com seus distantes companheiros changeling. Esses contatos escassos permitiram que alguns changelings viajassem a cidades diferentes e mesmo às nações diferentes com alguma ideia de como fazer o contato com uma Propriedade Livre. Embora ainda seja uma viagem misteriosa e perigosa, aqueles que desejam viajar agora sabem um pouco mais sobre a vida de changelings em outras partes do mundo do que changelings de décadas atrás.

A maioria dos changelings que usam a Internet temem que agentes das Fadas, ou ainda, Caçadores, os encontrem se eles postarem dicas demais sobre si ou suas atividades em qualquer lugar exceto os mais bem escondidos foruns ... e um corsário astuto, ou um mortal enfeitiçado, ainda poderia infiltra-los. Como resultado, muitos dos Perdidos mais “nerds” são mais lurkers mais do que qualquer outra coisa, mantendo um olho atento para qualquer changelings recém-chegado que pode não saber os perigos de um SOS on-line. Primeiros contatos dessa natureza ainda são extraordinariamente raros. Somente changelings que previamente experimentaram comunicações on-line no final dos anos 90 ou mais tarde são capazes de navegar facilmente a Internet moderna logo após o seu retorno. Mas seu número tende apenas a aumentar, e com isso o número de perigos a se encontrar na rede.





Segurança

Uma das características que quase todos os changelings compartilham é que eles têm grande dificuldade em se sentir seguros. Tomado sem aviso e vivendo num mundo de loucura sem sentido, no fundo da mente de qualquer changeling está o medo de que algum dia, outra coisa de repente transformará seu mundo de volta em um pesadelo vivo. Os Changelings temem que eles sejam recapturados por Faere ou se tornem vítimas de algum horror ainda desconhecido, e esse medo é uma questão central em muitas de suas vidas.

Este temor é maior naqueles recém retornados de Faerie, e muitas vezes se dissipa gradualmente entre aqueles que conseguem fazer vidas relativamente estáveis ​​para si mesmos no mundo mortal. Mesmo assim, a maioria dos Perdidos nunca supera os ataques ocasionais de pânico, a tendência a assustar-se violentamente ou a recorrência periódica de pesadelos horríveis. Como resultado, transtornos psicológicos são reações particularmente comuns ao estresse mental grave. Mesmo entre os changelings que permanecem completamente sãos, o medo e a suposta falta de segurança são responsáveis ​​por grande parte da estrutura da sociedade changeling.

Seu desejo de se sentir seguro e evitar qualquer situação que poderia resultar em sua recaptura significa que alguns changelings procuram aprender tanto quanto eles podem sobre as Fadas e os outros vários outros potenciais perigos sobrenaturais encontrados no Mundo das Trevas. A maioria dos changelings limitam o foco de seus interesses exclusivamente para Faerie e tentam aprender tudo o que pudem, tanto de lendas e mitos quanto de aventuras perigosas para a Vizinhança. Os mais determinados, por vezes, vão até missões secretas entre os leais e, ocasionalmente, até os corsários, onde tentam aprender os segredos desses grupos e os segredos de seus senhores. Paradoxalmente, o medo e o desejo de segurança levam alguns changelings especialmente obseecados em perigos excepcionais enquanto tentam a difícil tarefa de tentar conhecer melhor seu inimigo.

Outros reconhecem que podem haver outras ameaças sobrenaturais completamente desconhecidas à espera de tomar tanto changelings e mortais completamente desprevenidos. Como resultado, alguns Perdidos procuram aprender tudo o que podem sobre todas as muitas ameaças sobrenaturais e mistérios encontrados no Mundo das Trevas. Alguns se tornam ocultistas sérios, estudando as lendas e as tradições místicas de muitas terras e eras, enquanto outros acabam como teóricos de conspiração, obsessivos mas muitas vezes perturbadoramente bem informados, que encontram evidências de envolvimento sobrenatural em todos os tipos de eventos, incluindo algumas vezes e lugares quando o sobrenatural estava realmente presente.

Poucos negam os benefícios de alta clareza. No entanto, os changelings que estão intensamente focados em aprender sobre o Povo Belo ou outros seres sobrenaturais podem entrar em conflito com aqueles que tentam manter sua perspectiva no mundo mortal, evitando o contato feérico tanto quanto possível. Muitas Propriedades Livres contêm um ou mais changelings que fizeram um estudo intenso de vários tópicos sobrenaturais. Embora estes indivíduos muitas vezes tenham lucidez duvidosa, a informação que eles sabem pode ser de vital importância.

Além de causar em alguns Perdidos um interesse afiado e às vezes obsessivo em várias ameaças sobrenaturais ou estranhezas, o desejo de segurança também é responsável pelos três principais focos de vida changeling: Confiança, Hospitalidade e Segredo.


Confiança

A confiança é uma das coisas mais difíceis para os changelings reaprender. Embora as Fadas estejam presas por sua palavra, elas são mestres de seguir apenas a formulação mais exata de qualquer acordo que fazem e têm grande experiência em mentira e engano. Depois de viverem entre tais seres, changelings naturalmente têm dificuldade em confiar nos outros. Sua relutância em confiar é ainda mais problemática pela natureza de sua existência no mundo mortal. Para evitar serem rotulados como lunáticos e talvez até mesmo ser encontrados por Fadas, os Perdidos devem mentir continuamente sobre si mesmos e suas experiências. Muito poucos encontram mortais em que possam confiar. Como resultado, confiar em outro changeling ou fazer um compromisso mútuo de amizade ou aliança é um ato profundo que changelings não fazem levianamente.

No entanto, semelhante a muitos outros que experimentaram várias formas de trauma mental ou físico extremo, changelings que decidem confiar em alguém muitas vezes dão sua confiança absolutamente e com uma intensidade quase aterrorizante. Essa dicotomia entre a distância emocional e a confiança absoluta frequentemente perturba mortais que interagem com eles, que muitas vezes entendem corretamente que isso é um sinal claro de problemas emocionais significativos e abuso grave.

Tão difícil como costuma ser, a capacidade de deixar de lado seus medos e dúvidas e confiar sem reservas em alguém é essencial para o bem-estar da maioria dos changelings. Os changelings isolados a quem faltam qualquer um que podem confiar geralmente tornam-se cada vez mais retirados. Alguns se perdem na loucura ou na violência. Outros se tornam suficientemente descuidados que logo terminam mortos ou de volta em Faerie.

Devido à dificuldade que a maioria dos Perdidos tem de confiar nos outros, as Juras formam uma parte central da sociedade Changeling. Prometer amizade mútua e lealdade com os membros de uma Trupe é uma das características centrais da sociedade Changeling, assim como a garantia básica de aliança com a Propriedade Livre do changeling constitui a base de seu relacionamento com a Propriedade Livre. Dentro deste sistema de promessas, os changelings podem se sentir relativamente seguros, e o poder dessas promessas lhes permite confiar mais plenamente em seus aliados e colegas.

Ao longo do tempo, a maioria dos changelings aprender a confiar mais plenamente. Eventualmente, o período de tempo de um changeling pertencem a uma Trupe e o grau em que ele conhece os outros membros se tornam mais importantes do que suas promessas mútuas em manter sua confiança. No entanto, o hábito de usar promessas para garantir a confiança é profundo na sociedade Changeling, e permite aos Perdidos fazer acordos e alianças com membros da propriedade livre que nunca confiariam plenamente sem essas garantias misticamente reforçadas.

Como changelings só pode manter um número limitado de Juras ao mesmo tempo, eles devem ocasionalmente fazer acordos que não são selados com elas. Tais negócios são muitas vezes bastante estressante, e fofocas changeling e lendas urbanas estão cheias de contos de contratos Desatados (não juramentados) resultando em traição ou desastre. Para aliviar esse estresse, alguns changelings tentam ficar de olho em quão bem o outro lado está mantendo a barganha. Outros fazem o seu melhor para convencer-se que a outra parte ou partes são inteiramente confiáveis, mesmo em face de fortes provas em contrário. Alguns lidam com esse estresse, decidindo quebrar esses contratos de maneiras que lhes garantam vantagens assim que começam a se preocupar que a outra parte possa traí-los. Eles argumentam que se o negócio vai ser quebrado, eles preferem fazê-lo primeiro, para que eles possam ser o vencedor e não a vítima. Alguns perdidos procuram contratos desatados, tanto com os mortais como com outras pessoas, com o propósito expresso de planejar quebrá-los - fazê-lo dá aos changelings um sentimento de poder e controle de que eles desesperadamente precisam.

O método mais comum para garantir que os contratos feitos sem promessas sejam mantidos é aprender o máximo possível sobre os outros envolvidos no acordo. Como as comunidades changeling são relativamente pequenas e insulares, quase todos os changeling são relativamente bem conhecidos por seus vizinhos. Como resultado, a reputação se torna de vital importância. Os Quebradores de Promessas conhecidos nunca são tolerados. Aqueles que são meramente conhecidos por contornar as bordas de juramentos e dobrar quaisquer contratos Desatados para sua própria vantagem não são excluídos da sociedade changeling, mas logo descobrem que ninguém está disposto a fazer negócios com eles que não são apoiados por Juras.

Uma punição infrequente, mas bem conhecida, é forçar alguém a jurar uma promessa se ele deseja evitar ser expulso de sua propriedade. Enquanto fazer isso é considerado como um passo extremo, também é amplamente aceito como a melhor solução para lidar com changelings que são desonrosos ou de outra forma altamente problemáticos. Tais promessas forçadas permitem que os outros membros de uma propriedade livre confiem em um changeling que de outra forma se mostrou indigno dessa confiança.




Hospitalidade

Uma das principais razões que a maioria dos changelings participam de sua Propriedade Livre ou Corte local, ou pelo menos estão dispostos a trabalhar com eles, é a promessa de um espaço seguro em que eles podem lidar com seus companheiros changelings. Entre as questões de confiança e o fato de que os changelings não podem se dar ao luxo fazer promessas demais, aqueles que desejam ou precisam interagir com outros de sua espécie devem aceitar os riscos de interação mais cedo ou mais tarde. Para ajudar a minimizar tanto o risco quanto o medo envolvido nessas interações, tanto Propriedades Livres como Cortes mantêm estritamente as regras da hospitalidade em seus locais de reunião. Quando os changelings vão a um desses, podem esperar um espaço seguro onde os líderes imporão a conduta polida. Os duelos são aceitáveis, mas o uso de Contratos ou a violência em outro changeling sem qualquer acordo prévio ou provocação extrema definitivamente não são. Assim, os Perdidos podem ficar assegurados que eles estão seguros de ataques furtivos, abdução ou outros eventos semelhantes que muitas vezes se destacam em sua psique.

Em resposta às políticas das Propriedades Livres e Cortes, alguns changelings também promulgam semelhantes regras de hospitalidade em suas casas e lugares de encontro comum. Em quase todas as cidades, algum sinal marca um lugar como sujeito às regras da hospitalidade, um pouco de giz, grafite, cartaz ou outro código conhecido pelos Perdidos. As regras da própria hospitalidade são relativamente simples e extremamente difundidas. Dentro de lugares marcados como estando sob as regras de hospitalidade, changelings deve honrar todas as suas promessas e abster-se de quaisquer ataques não provocados, incluindo ataques com Contratos e com violência física. Além disso, changelings que não quebraram as regras de hospitalidade e que estão em necessidade pode reivindicar santuário em qualquer lugar desses por pelo menos um dia inteiro. No final deste tempo, eles podem ser convidados a sair, mas por esta duração eles estão seguros tanto de mal quanto de despejo.

É esperado que Changelings que marcam um lugar como sendo coberto pelas regras de hospitalidade são esperados se identifiquem ao lado da marca. Estender as regras de hospitalidade sobre um local significa que o changeling ou changelings que fazem isso estão jurando um juramento para defender estas regras com força e possivelmente com suas vidas. Em algumas comunidades, os changelings declaram simplesmente verbalmente sua sustentação desta hospitalidade no local de encontro da Propriedade Livre. No entanto, na maioria das propriedades, eles adicionam sua marca ao lado da marca indicando hospitalidade.

Fazer tais declarações requer coragem e determinação e quase nunca é feito de forma leviana. No entanto, proteger essas áreas é do interesse de quase todos os Perdidos. Portanto, quando a fornecedora de hospitalidade local é forçada a avançar e defender alguém em seu domínio, a maioria dos outros changelings atualmente aproveitando de sua hospitalidade tipicamente ficarão ao lado dela contra qualquer um que ameaça a paz e a segurança deste local.

Alguns changelings que são especialmente corajosos ou poderosos (bem como aqueles que apenas desejam aparecer como qualquer um) declaram suas casas como protegidas pelas regras de hospitalidade. A maioria não está disposta a fazê-lo porque deseja reservar o direito de tomar medidas preventivas contra qualquer pessoa que possa ser uma ameaça potencial. Os espaços mais comumente protegidos são cafés, bares, restaurantes, pubs, escritórios privados, salas de reuniões públicas, hotéis ou, para os ricos, casas de hóspedes separadas mas perto de suas casas reais. Nesses locais, os changelings de toda a cidade podem aparecer e, dependendo das regras exatas que governam o espaço, ou entrar direto ou pedir permissão para entrar. Uma vez dentro, eles se encontram com seus colegas changelings, fazem negócios ou trocam informações e fofocas, seguros ao saber que seus mais paranoicos medos e preocupações são improváveis ​​de acontecer aqui.


Segredos

Para os changelings, o ato de viver no mundo mortal envolve guardar segredos. Revelar sua verdadeira natureza aos mortais pode resultar em loucura, descrença e, possivelmente, desprezo de seus pares. Muito poucos mortais estão dispostos a aceitar histórias sobre longas abduções a um mundo mágico por seres desumanos. Incapazes de perceber fae miens ou aceitar as verdades ocultas, os mortais só se sentem confortáveis ​​quando o changeling responde às suas perguntas com mentiras cuidadosamente construídas.

Enquanto alguns Perdidos amargos e endurecidos pouco se preocupam com a loucura e confusão que se revelar aos mortais pode produzir, todos estão conscientes dos perigos que tais revelações podem trazer sobre si e outros changelings. Tentar revelar a verdade de sua existência naturalmente provoca descrença entre quase todos os mortais, especialmente os membros da família que passaram anos ou na companhia de um Trocado ou lamentando a perda do Changeling. As acusações de que o Trocado é uma criação monstruosa ganham mais descrença ou medo do que simpatia.

Os mortais temem ou ignoram o que não conseguem entender. Qualquer resposta pode ser perigosa, especialmente se os mortais falam muito sobre as histórias estranhas que algum parente ou estranho relatou - corsários e leais estão sempre ansiosos para ouvir essas histórias e fazer o seu melhor para rastrear a fonte. Changelings cujas famílias mortais têm crenças religiosas extremas às vezes se veem sujeitos a violentas e às vezes perigosas tentativas de exorcismo, como suas famílias tentam forçar os "demônios" para fora deles. Tentativas de desvelar a natureza de um Trocado podem dar especialmente mal e resultar em ordens de restrição, acusações de conspiração para cometer assassinato e problemas semelhantes.

Alguns changelings questionam a necessidade do segredo, particularmente aqueles cujas aparências podem ser vistas como bonitas e magnéticas. No entanto, como os mortais não podem perceber as fae miens dos changelings, na melhor das hipóteses os changelings parecem ser seres humanos magicamente poderosos com delírios estranhos e perturbadores sobre seus passados. E apesar de não serem monstros, Changelings são, no entanto, seres estranhos e um tanto desumanos. Aqueles poucos que conseguem convencer os mortais não-encantados de que não são simplesmente insanos, em vez disso, inspiram o típico medo mortal do estranho e do desconhecido.

Tentativas de contar a verdade a outros para ganhar aliados contra as Fadas são fúteis. A infeliz verdade é que os mortais não-enfeitiçados não podem ajudar os changelings contra o Povo Belo, porque os mortais não podem perceber a Vizinhança ou quaisquer outras manifestações feéricas. A maioria dos mortais também não pode perceber changelings como outra coisa senão seres humanos desiludidos ou tolos alegando ser seres estranhos e desumanos. A gama de reações às afirmações de um changeling vai de zombaria, ridicularização e acusações de insanidade, à possível confinamento em instituições ou mesmo violência.

Mas a razão mais importante para o segredo é o medo constante de acabar revelando, ou até mesmo ser insuficientemente cuidadoso sobre esconder sua existência, pode resultar em serem encontrados por Faerie. Enquanto poucos changelings foram perdidos novamente para Arcadia, nenhum dos que foram recapturados são vistos novamente. A maioria dos Perdidos reconhece que as Fadas não estão constantemente perseguindo o Perdido através do mundo mortal, e que possivelmente sequer compreendam, notem ou se importem com sua falta; muitos acreditam que só estão em perigo durante suas viagens para a Vizinhança, nas mãos de quaisquer outras Fadas oportunistas, ou quando encontram corsários. No entanto, o medo persistente de que eles possam um dia adormecer e acordar de volta entre as Fadas sem nenhum dizer sobre o assunto, ou que eles serão capturados alguma noite ao caminhar por uma rua deserta, não é um medo infundado. A possibilidade é real.

Alguns changelings tornam-se suficientemente paranóicos que eles constantemente variam suas rotinas para evitar que ninguém ou qualquer coisa os faça uma armadilha. Alguns recusam-se a deixar que mesmo seus camaradas mais próximos saibam onde moram. A maioria não tem essa devoção ao segredo, mas ainda experimenta uma ligeira hesitação quando alguém pergunta onde eles vivem ou um estranho bate à sua porta. O resultado mais óbvio desta tendência ao sigilo é que os Perdidos geralmente fazem o que podem para parecerem normais e sem importância.

Mesmo changelings recém retornados rapidamente reconhecem que as pessoas comuns não podem perceber seus fae miens ou a maioria de suas outras estranhezas. No entanto, muitos changelings temem que ser visto como muito excêntricos vai causar rumores e fofocas que podem alcançar as Fadas, quer através de corsários ou dos sonhos dos mortais. Como resultado, changelings fazem o seu melhor para não fazer nada que os marcaria changelings. Infelizmente, mesmo os Perdidos que passaram muitas décadas em Faerie não entendem completamente como as Fadas pensam ou o que elas podem procurar. Como resultado, nenhum changelings tem qualquer pista sobre o que -além de declarações abertas sobre sua natureza ou história- poderia fornecer dicas perigosas para o Povo Belo.

Alguns changelings ganharam aceitação entre pequenos grupos de mortais excêntricos interessados ​​em abduções alienígenas e fenômenos semelhantes. Entretanto, muitos desses mortais são instáveis, e a participação em tais comunidades marginais abre o changeling para ridiculo e suspeitas de insanidade pela maioria dos de fora. No entanto, alguns changelings apreciam a capacidade de falar mais abertamente sobre suas experiências com os mortais. Nesses grupos, histórias de changelings sendo sequestrados pelos "cinzas", mantidos por anos, e fugir apenas depois de ser mudado permanentemente podem resultar em solicitações para ver o "disco voador" que o changeling utilizou para escapar ou perguntas sobre a natureza da tecnologia dos “aliens”. Além disso, apenas aqueles changelings que não tiveram um Trocado encontram fácil aceitação nesses grupos: Alguém que desapareceu em circunstâncias misteriosas e reapareceu igualmente misteriosamente anos mais tarde ganha muita credibilidade entre as pessoas interessadas no estranho e misterioso. No entanto, histórias de substitutos mágicos que devem ser brutalmente mortos muitas vezes deixam mesmo os mortais mais excêntricos bastante desconfortáveis. Em todos os casos, o Perdido deve mentir para todos, exceto para o seu próprio povo e o mais confiável dos mortais que têm Encantado. É uma demanda difícil, mas alguns acham que fica mais fácil com o passar do tempo ... quase instintivo, realmente.




Territorialidade

Os trods que os changelings requerem para reentrar no mundo mortal não são encontrados em toda parte. Portais para o Mundo das Trevas são muito mais comuns e mais fáceis de atravessar em determinadas cidades e vilas. Como resultado, os changelings naturalmente tendem a se agrupar em tais lugares. Certas cidades têm comparativamente grandes populações changeling, enquanto outras podem não ter nenhum. Naturalmente, nem todos os Perdidos permanecem na cidade onde eles emergiram pela primeira vez da Vizinhança, mas muitos não têm nenhuma razão convincente para morar em outro lugar, porque essas cidades geralmente contêm grandes Propriedades Livres.

Os Perdidos geralmente retornam ao mundo mortal perto das casas que conheciam, guiados por suas memórias. Às vezes, porém, seus entes queridos se afastaram. A maioria dos changelings que se mudam para outro lugar fazem isso porque eles desejam recuperar o contato com seus amigos e famílias mortais. Como os changelings foram uma vez violentamente removidos destas pessoas, a maioria dos Perdidos são compelidos a permanecer perto de seus amados mesmo se forçados a observá-los somente à distância. Além disso, o trauma produzido pelo rapto e retorno de um changeling expressa-se em uma multiplicidade de maneiras, mas para muitos, resulta em uma atenção à segurança e rotina que faz viajar para locais desconhecidos mais do que um pouco estressante.

Os pensamentos quase inconscientes que changelings tem de de muitas cidades e vizinhanças desconhecidas é de que estão cheios de Fadas, corsários vorazes e perigos semelhantes que espreitam em cada esquina. Uma vez que changelings encontrem algum lugar relativamente seguro, a maioria fica relutante em mudar-se de sua habitação ou sua cidade. O Trod que chamou o changeling de volta através da Vizinhança também exerce um poder excepcionalmente poderoso em quase todos os changelings, e muitos gostam de ser capazes de passar tempo perto deste local. Afinal esse foi o farol que os trouxe de volta para casa uma vez; se o pior acontecer, ele poderia ser capaz de trazê-los para casa novamente.

Ao longo do tempo, essa relutância em viajar às vezes some, com changelings indo de ter pesadelos com Faerie várias vezes por semana à tê-los apenas em momentos de estresse extremo. Além disso, alguns Perdidos encontram segurança em ser difícil de encontrar e deliberadamente procuram carreiras ou formas de vida que envolvem frequentes viagens ou vida na estrada. Com empregos que vão desde caminhoneiros à aeromoças ou vendedores ambulantes, estes changelings consideram sua mobilidade como sua maior proteção contra ameaças.

Embora alguns changelings sejam solitários pela natureza e procuram seu próprio tipo somente quando enfrentando problemas que não podem controlar sozinhos, a maioria estabelece pelo menos laços frouxos com uma corte ou uma Propriedade Livre. Aqueles que estão naturalmente inclinados a viajar ocasionalmente servem como emissários ou mensageiros quando tal são necessários. Alguns Perdidos, especialmente aqueles que encontram trabalhos mortais que envolvem viagens frequentes, conseguem ganhar status e poder significativos através de seu trabalho como emissários e intermediários. Devido à não jurar lealdade a nenhuma Corte ou Propriedade Livre, mas ter laços estreitos com várias, esses changelings têm amigos e aliados mesmo entre Propriedades Livres e Cortes que estão frequentemente em desacordo um com o outro. Como a maioria dos changelings encontrar a segurança que procuram ao viver uma vida estável em um único lugar, esses arautos viajantes muitas vezes ganham reputações impressionantes de bravura e ousadia.



This entry was posted on quarta-feira, maio 03, 2017 at 10:45 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

0 comentários

Postar um comentário